terça-feira, 29 de dezembro de 2020

Retrospectiva 2020: música

 Os álbuns de 2020 que chamaram minha atenção.

Do pop ao experimental, do heavy ao acústico.



Rock brasileiro e música instrumental.



Hard rock e rock experimental.


Baladas semiacústicas.


Synth Pop, 80's revival.


Rock alemão/ punk.



Covers de canções dos anos 60 aos anos 90.


Versões de músicas dos anos 50 e início dos 60.


Paul McCartney [McCartney III] aos 78 anos e com muita energia Paul gravou um álbum no isolamento social durante a pandemia. Compôs todas as faixas e tocou todos os instrumentos [exceto em uma faixa]. Apesar da diversidade de gêneros musicais, o álbum tem uma unidade sonora que é a marca McCartney. Diferentemente de seus trabalhos anteriores,  não há neste um grande hit a se destacar, todas as faixas são excelentes. Curiosidade: Recentemente, Ringo Starr lançou o single "Here's to the Nights", no clima de final de ano. Cantando muito bem e tocando bateria, ele ainda conta com a participação especial de Paul McCartney e outros astros da música.

Yuri Oliveira (Daviola) [De Dentro] gravou seu álbum de estreia no isolamento social durante a pandemia. Compôs todas as faixas, cantou e tocou todos os instrumentos. Tanto nas letras quanto nos arranjos musicais seu trabalho só pode ser definido como virtuoso e multitalentoso. E nada menos que isso.

Pearl Jam [Gigaton] gravou o álbum antes da pandemia. É um trabalho grandioso. Na minha opinião, o melhor álbum do ano e um dos melhores e mais ousados da carreira desta banda até agora. Uma banda que já era consagrada no passado, hoje prova que pode se reinventar, sem perder as origens, e encantar ainda mais.

Stone Temple Pilots [Perdida] gravou o álbum antes da pandemia. As canções são românticas e se resumem a sentimentos de saudade. Destaque para uso de instrumentos antigos e raros, como o violino cigano. Para quem curte soft rock, este álbum é perfeito.

The Smashing Pumpkins [CYR] um projeto diferenciado, trazendo de volta o som do synth pop dos anos 80. Não espere ouvir guitarras neste álbum, mas muitos teclados e sintetizadores. As melodias são ótimas, assim como os arranjos. 

Böhse Onkelz [Böhse Onkelz] banda alemã dos primórdios do punk rock e ainda na ativa. Muito conhecida em seu país de origem, todos os seus trabalhos são relevantes e dignos de atenção. Este não podia ser diferente. A banda mantém sua força e energia neste novo trabalho. 

Billie Joe Armstrong [No Fun Mondays]  O vocalista da banda Green Day fez versões de músicas que ele gosta, do seu amplo repertório de influências musicais. Consta neste trabalho, por exemplo, "That Thing You Do" [da banda fictícia/ filme The Wonders], "Amico" um rock cantado em italiano, "Gimme Some Truth" de John Lennon, entre outras. A banda Green Day também lançou um novo álbum em 2020, mas ainda não tive tempo para ouvir a fundo. Do que ouvi até agora, gostei. O novo álbum se chama: Father of All... 

Die Toten Hosen [Learning English Lesson 3: Mersey Beat! The Sound of Liverpool] esta banda alemã faz sucesso desde os anos 80 e eu a acompanho há mais de uma década. Eles sempre cantaram canções autorais e em alemão, mas há um tempo deram início a um projeto de regravar sucessos da música americana e inglesa. Nesta terceira parte do projeto eles homenagearam os Beatles, gravando músicas que os rapazes de Liverpool tocavam no início da carreira. Consta neste álbum a canção "Bad to Me", uma composição de Lennon e McCartney que nunca foi gravada pelos Beatles.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2020

Je t'aime... Moi non plus (tradução)

Composição: Serge Gainsbourg 

A primeira gravação foi feita por Serge Gainsbourg e Brigitte Bardot (1967). Todavia, a versão que ficou conhecida mundialmente foi a segunda gravação: Serge Gainsbourg e Jane Birkin (1969). Ela era a namorada do compositor na época.

A letra traz uma metáfora de cunho sexual, o vai e vem das ondas quebrando numa ilha. Mas não se detém na linguagem figurada. Ela é também explícita, revelando inclusive a posição sexual que o casal pratica na letra, claro como numa fotografia. 

Conhecimentos em idiomas nunca são o suficiente para traduzir um texto, ainda mais quando se trata de um texto literário. Nesses casos, conhecimentos em Linguística e Teoria Literária se tornam indispensáveis. As observações que faço após a tradução exemplificam isso e são importantes para entender as escolhas lexicais usadas nesta tradução.

A letra é um diálogo entre homem e mulher, começando por ele. Os travessões [-] indicam as mudanças de locutor.


Letra e tradução


- Je t'aime, je t'aime, oh, oui je t'aime.   - Eu te amo, eu te amo, oh sim, eu te amo.
- Moi non plus.                                       - Eu tampouco. [Eu também]* 
- Oh, mon amour!                                   - Oh, meu amor!
- Comme la vague                                  - Como a onda 
Irrésolue.                                                  Irresoluta.   

Je vais, je vais et je viens                        Eu vou, eu vou e venho
Entre tes reins.                                         Entre tuas costas.**
Je vais et je viens                                     Eu vou e eu venho   
Entre tes reins                                          Entre tuas costas
Et je me retiens.                                       E eu me contenho.

- Je t'aime, je t'aime, oh, oui je t'aime.   - Eu te amo, eu te amo, oh sim, eu te amo.
- Moi non plus.                                       - Eu tampouco. [Eu também]
- Oh mon amour,                                    - Oh, meu amor
Tu es la vague                                          Tu és a onda
Moi l'île nue.                                             E eu, a ilha nua.

Tu vas, tu vas et tu viens                       Tu vais, tu vais e vens
Entre mes reins.                                     Entre minhas costas.
Tu vas et tu viens                                   Tu vais e vens
Entre mes reins                                      Entre minhas costas
Et je te rejoins.                                       E eu te acompanho. 


[Repete primeira estrofe, segunda estrofe e quarta estrofe.]

- Je t'aime, je t'aime, oh, oui je t'aime.  - Eu te amo, eu te amo, oh sim, eu te amo.
- Moi non plus.                                      - Eu tampouco. [Eu também]. 
- Oh mon amour!                                  - O meu amor!
- L'amour physique                               - O amor físico 
Est sans issue.                                        É sem saída.
Je vais, je vais et je viens                        Eu vou, eu vou e venho
Entre tes reins.                                        Entre tuas costas
Je vais et je viens                                    Eu vou e eu venho
Je me retiens                                           E eu me contenho. 
- Non, maintenant viens!                      - Não, agora vem!


Observações:

* Moi non plus - Ao pé da letra, "Eu não mais". Essa expressão é usada para reforçar uma negativa. Por exemplo, se alguém diz "Eu não gosto de futebol" e um outro responde "Moi non plus" significa concordar com a negativa dizendo "Eu também não". 

Porém, a mesma expressão usada após uma afirmativa "Eu gosto de futebol" pode assumir, nesse contexto, o significado de "Eu também". Esse registro não é usual na língua francesa. Ele parece ter surgido, segundo minha pesquisa, de uma fala do pintor espanhol Salvador Dalí.

Quando Salvador Dalí disse: "Pablo Picasso é comunista, moi non plus" talvez ele quisesse dizer "Eu não mais". De fato, Picasso foi membro do partido comunista até a sua morte, enquanto Dalí foi comunista apenas em sua juventude, daí dizer "Eu não [sou] mais". O francês não era a língua nativa de Dalí, então é possível que ele tenha feito um uso equivocado da expressão "Moi non plus". Ou ele tenha usado de sua irreverência surrealista, e com muita consciência, deu uma resposta ambígua.

É possível supor que esse uso incomum da expressão tenha chamado a atenção do compositor. O suposto equívoco gramatical do pintor assumiria um significado inovador e poético na letra desta música.

** reins - Essa palavra, quando no singular, pode ser traduzida como "rim" ou "dorso". Mas na letra, a palavra aparece no plural. Para ser fiel ao sentido original, quis manter o plural na tradução. Isso me deu opções de traduzir "reins" como "rins", "lombos" ou "costas". Aqui entra uma questão de campo semântico. A palavra "rins" está no campo da medicina, o que descarta seu uso aqui. Já "lombos" remete à culinária, o que também descarta seu uso aqui. A palavra "dorso" usada no plural soaria estranha, então "costas" pareceu a escolha mais acertada.

quarta-feira, 2 de dezembro de 2020

Dicas de português

1) Mas x Mais

Mas - significa: porém, entretanto, no entanto, todavia.

Ex: Choveu, mas faz calor. (= Choveu, porém faz calor).

Ex: Capriche no trabalho, mas não demore na entrega.

Ex: Faça um regime, mas não exagere.

 

Mais - significa adição (+), é o contrário de menos (-).

Ex: Dois mais dois são quatro. 

Ex: Gosto mais dos dias frios.

Ex: Cada vez mais, prefiro os dias frios.

Ex: Quanto mais eu leio, mais eu gosto de ler.

 

2) A diferença que um único acento faz:

Analise (verbo) Ex: Analise os gráficos para mim. (Sílaba forte: a-na-LI-se)
Análise (substantivo) Ex: A análise foi perspicaz. (Sílaba forte: a-NÁ-li-se)

Critica (verbo) Ex: Ele critica as obras de Alencar.(Sílaba forte: cri-TI-ca)
Crítica (substantivo) Ex: A crítica foi bem recebida. (Sílaba forte: CRÍ-TI-ca)

Noticia (verbo) Ex: O jornalista noticia os fatos. (Sílaba forte: CI)
Notícia (substantivo) Ex: A notícia foi capa de jornal. (Sílaba forte: TÍ)

Esta (pronome demonstrativo) Ex: Esta mesa está ocupada, mas aquela não. 
Está (verbo "estar" na 3ª p. do sing. Presente do Indicativo) Ex: Ela está aqui. 

 

3) Infinitivo (final R)

Ex. Hoje ela está ocupada, amanhã pode estar livre.

Está – verbo conjugado pelo pronome Ela (3ª pessoa do singular).

Estar – verbo no infinitivo (final R).


Ex: Ele anda. (3ª p. do sing) x Ele consegue andar. (infinitivo)

Ex: Isso fede. (3ª p. do sing) x Isso vai feder.(infinitivo)

Ex: Você sai todo dia. x Você quer sair amanhã?

segunda-feira, 30 de novembro de 2020

Como fazer citação/referência

Esta postagem é um alerta que faço a partir do que tenho observado ao corrigir vários trabalhos acadêmicos.

Um dos erros mais comuns é copiar textos de terceiros, o que configura plágio. Além de ser crime, o plágio é justificativa para anulação da nota. Falando mais claramente, plágio comprovado é nota zero no trabalho. E, infelizmente, o plágio se tornou cada vez mais comum com a popularização da internet. Contudo, para nós professores, o plágio ficou mais fácil de ser descoberto nos tempos atuais, graças também à internet e a alguns aplicativos que identificam e comprovam o plágio.

Alguns trabalhos que corrijo trazem apenas textos de terceiros e, ao final, uma lista de livros e sites. Isso não é fazer referência, isso é cópia. Copiar textos de terceiros e listar as fontes ao final do trabalho não é fazer um trabalho acadêmico.

Importante: O trabalho acadêmico deve ser uma redação de autoria da pessoa que assina o trabalho, não uma cópia de outros textos. Você pode, eventualmente e de acordo com a necessidade, usar textos de terceiros, mas sempre e unicamente em forma de citação.


O que é citar?

É quando, ao escrever o seu texto, você usa a fala de outro autor no meio da sua fala, em razão da necessidade que você tem de mencionar uma informação técnica que foge da sua alçada. Então, você precisa de um especialista como fonte para validar seu argumento. 

Ao usar a fala de outro autor, você sempre deve mencionar o nome dele, o ano da publicação e página, isso logo após a fala desse autor.


O que é citação direta?

É usar a fala de outro autor, sem alterar qualquer palavra dele. Ao fazer isso, mencione esse autor para não configurar plágio.

Mas a fala de outro autor não pode vir misturada ao seu texto, dando a entender que é sua fala. Essa fala deve vir separada, destacada, para que na leitura não se confunda o texto que é de sua autoria com o texto que você usa como referência. 

 Observe abaixo as formas 1 e 2 de como separar/ destacar a fala de outro autor em seu texto.


1- Se a fala dele tem até quatro linhas, ela deve vir entre aspas. O nome do autor, o ano da publicação e página devem vir entre parênteses logo após fechar aspas.


Exemplo:

Bagno afirma que “temos de fazer um grande esforço para não incorrer no erro milenar dos gramáticos tradicionalistas de estudar a língua como uma coisa morta, sem levar em consideração as pessoas vivas que a falam” (BAGNO, 1999, p. 9). Em outras palavras, devemos considerar que a língua é um organismo vivo, mutante, variável.


Obs: Repare que a última frase do texto acima não é de Bagno, mas um argumento que o autor faz a partir da citação de Bagno. As aspas separam o texto de Bagno da redação do autor desse trabalho.



2- Se a fala dele tem mais de quatro linhas, ela deve vir escrita em tamanho menor [10] e recuada à direita. O nome do autor, o ano da publicação e página devem vir entre parênteses logo ao fim da citação.


Exemplo:

Além disso, os PCNs destacam a contextualização das atividades escolares. Em outras palavras, elas devem simular situações reais do cotidiano do aluno a fim de prepará-lo para a comunicação em qualquer conjuntura de sua vida, seja como indivíduo ou como membro da sociedade. Sendo assim: 

Cabe à escola ensinar o aluno a utilizar a linguagem oral no planejamento e realização de apresentações públicas: realização de entrevistas, debates, seminários, apresentações teatrais etc. Trata-se de propor situações didáticas nas quais essas atividades façam sentido de fato. (BRASIL, 1998, p. 25)


Obs: Repare que o primeiro parágrafo é do autor desse trabalho [escrito em tamanho 12, padrão acadêmico] e a citação está destacada do texto dele [em tamanho 10 e recuada à direita].


O que é citação indireta?

É usar a ideia de outro autor, porém, com suas próprias palavras. Isso se faz às vezes porque você não tem em mãos o livro [referência] no momento em que você está redigindo. 

Ao fazer citação indireta, mencione o nome do autor e/ou a obra de origem, indicando que aquele pensamento é de propriedade intelectual de terceiro, para não configurar plágio.


Exemplo:

De acordo com Marcos Bagno em seu livro "Preconceito Linguístico", nós temos de fazer um grande esforço para não cair no erro dos gramáticos tradicionais que estudam a língua como uma coisa morta, sem levar em consideração os falantes.


Obs: Compare agora os exemplos acima de citação direta e citação indireta.



O que são referências (bibliográficas)?

São as fontes de pesquisa. Elas compõem o seu embasamento teórico. 

Elas devem vir listadas em ordem alfabética ao final de cada trabalho acadêmico. As referências bibliográficas referem-se a livros [biblos]. Por isso, ao usar sites da internet, faz mais sentido chamar apenas de "Referências".


Exemplo:

Bibliografia

ANJOS, Augusto dos. Poesias de Augusto dos Anjos – Eu e Outras Poesias. 14 ed. São Paulo: Editora Letras & Letras, 2003.

BAGNO, Marcos. Preconceito Linguístico: o que é, como se faz. 47 ed. São Paulo: Edições Loyola, 1999. 

CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. 13 ed. São Paulo: Editora Ática, 2003.



ÚLTIMO SOBRENOME, nome. Título da obra em negrito: subtítulo se houver. nº da edição. Local de Publicação: Editora, ano.


É pelo sobrenome do autor e ano de publicação que o leitor identifica o livro de onde foi tirada uma citação. Quando vejo BAGNO e o ano 1999 após uma citação, sei que essa citação foi tirada do livro Preconceito Linguístico, listado nas referências bibliográficas ao final do trabalho.

Obs: Se o livro consultado é uma versão traduzida, o nome do tradutor é tão importante quanto o nome do autor, por isso o tradutor deve constar na referência com a abreviação Trad.


Exemplo: 

BARTHES, Roland. O Grau Zero da Escrita. Trad. Mario Laranjeira. São Paulo: Martins Fontes, 2000.




É claro que as explicações que faço aqui são um resumo de normas gerais. Há muito a ser dito sobre esse assunto. Por isso recomendo que, ao fazer um trabalho acadêmico, consulte um manual de normas técnicas.

Com este resumo eu quero deixar aqui o alerta, chamando atenção para a importância desse assunto.

Dica: Sempre prefira os livros a sites. A leitura de livros é imprescindível a qualquer um, especialmente na formação acadêmica.


Vídeo com dicas importantes de formatação acadêmica:



sexta-feira, 27 de novembro de 2020

De Dentro

Já está disponível no Spotify, Deezer e YouTube o álbum De Dentro, trabalho de estreia do capixaba Yuri Oliveira [Daviola] como cantor e compositor.

Yuri é um guitarrista de 24 anos virtuosíssimo. Toca como poucos! Já vi ele tocar solos de Metallica, Guns n' Roses, Eddie Van Halen, Iron Maiden etc fazendo-os parecer a coisa mais fácil do mundo. Você leitor pode conferir acessando as redes sociais do Yuri [links no final desta postagem].

Em 2020, com a pandemia do corona vírus, foi obrigado a dar uma pausa nas aulas de guitarra que ministrava e também nos shows com a banda Ruptur.

Seu álbum, lançado em 25 de novembro, foi gravado no isolamento social, de forma 100% independente e com um único músico, o próprio Yuri.


As 8 faixas que compõem a obra representam uma síntese das três faces de Yuri como compositor: música apenas instrumental, música cantada em português e música cantada em inglês.

Pode-se dizer que há um excesso de virtuosismo na parte instrumental, com arranjos nada fáceis de serem executados, o que demonstra muito talento de Yuri como músico. Porém, esse excesso não cansa os ouvidos, deixando a composição soar leve, de modo a possibilitar uma maior aceitação popular.

Por outro lado, as letras são um tanto herméticas. Mas sua poesia pode atingir o grande público ao falar de sentimentos universais; como amor [eros], solidão, saudade e introspecção.


Faixa a faixa:

Impetuosa Tempestade - A faixa de abertura é cantada em português. De temática amorosa, sua levada é carismática e de fácil aceitação, contrastando com complexos arranjos de bateria, baixo e guitarras que permeiam por todo o álbum, incluindo nesta canção. Há nela elementos de MPB, rock e gospel - uma fusão eclética e muito bem-vinda.

A Voz do Trovão - Faixa instrumental com muita brasilidade, lembrando talvez o Nordeste, mas com arranjos de rock dignos de nos reportar a bandas progressivas como Rush.

The Morning Ends the Mourn - Balada cantada em inglês. Traz uma lindíssima melodia com um refrão poderoso! E o solo final da guitarra é simplesmente soberbo! Esta canção, como outras do álbum, tem força para ser um grande hit.

Ermo - Balada ao estilo soft jazz ou jazz rock, cantada em português. A letra tem ótimas sacadas e a musicalidade aqui vai numa gradação crescente que primeiro agrada, depois conquista e, por último, fica.

Four Walls - Com letra em inglês, uma melodia encantadora e um refrão que nasceu para conquistar nossos ouvidos na primeira audição. Se fosse para indicar uma música de trabalho, provavelmente seria esta. Mas é difícil escolher entre tantas faixas brilhantes num mesmo álbum.

Two Wolves - A terceira e última faixa cantada em inglês. A letra se baseia na alegoria dos dois lobos que lutam dentro de nós, simbolizando o bem e o mal. E a pergunta é: qual lobo você vai alimentar? A faixa não tem bateria, portanto, é uma melodia mais introspectiva. Belíssima!

Tensão - A segunda e última faixa instrumental do álbum. Destaca-se a variação de ritmo e um trabalho sensacional de guitarra. Arranjos de tirar o fôlego.

Depois da Vida - A terceira faixa com letra em português fecha o álbum. O tom é melancólico, musical e poeticamente, mas o solo de guitarra ergue o espírito da música e do ouvinte, como se nos puxasse da profundeza para vir à tona. Uma catarse.


Em resumo,

De Dentro nos apresenta intimamente a um professor de música muito talentoso; guitarrista, vocalista e arranjador. E a um compositor existencialista, pensador de si mesmo e do mundo que o cerca.


Link do álbum no YouTube:



Yuri Oliveira nas redes sociais:

Instagram: https://www.instagram.com/daviolaoficial/

YouTube: https://www.youtube.com/user/TheGuitarYuri

Facebook: https://www.facebook.com/yuridaviola

Página inicial do álbum: https://www.youtube.com/channel/UCDGCcCdxZNRNRog3t77XSLw


Yuri Oliveira [Daviola]



sábado, 14 de novembro de 2020

Teledramaturgia

Estava relembrando algumas telenovelas da Rede Globo. Muitas delas foram marcantes e deixaram saudades. Alguns exemplos: 

- Roque Santeiro (1985/1986);

- Que Rei Sou Eu? (1989);

- Top Model (1989/1990);

- Tieta (1989/1990);

- Pedra sobre Pedra (1992);

- Renascer (1993);

- Mulheres de Areia (1993);

- Tropicaliente (1994);

- A Viagem (1994);

- Irmãos Coragem (1995);

- O Cravo e a Rosa (2000);

- Laços de Família (2000/2001). 


Houve telenovelas bem escritas, dirigidas e produzidas, com ótimos enredos e diálogos, tendo momentos de brilhantismo. E houve também aquelas que foram obras-primas do início ao fim, como as minhas favoritas: Roque Santeiro, Pedra Sobre Pedra e Renascer. Esta última tinha diálogos excepcionais! 

Ouça, por exemplo, este dedinho de prosa: 


Outro exemplo é esta fala da personagem Tião Galinha, que coloquei em verso pra modo de dar ritmo à leitura de vosmecês:  

Quem trabalha e mata a fome
Não come o pão de ninguém.
Mas quem ganha mais do que come,
Sempre come o pão de alguém!

  

Vale a pena lembrar também das trilhas sonoras, incluindo as trilhas instrumentais e os efeitos sonoros. Mas isso é um capítulo à parte.

Deixe nos comentários o nome da sua telenovela favorita.

segunda-feira, 9 de novembro de 2020

Música boa em 2020

Não só música boa, nestes casos, Ótimas! Aquele momento em que você está consciente de que é contemporâneo de obras-primas.

Gostaria de reafirmar a beleza destes dois álbuns: Gigaton (Pearl Jam) e Perdida (Stone Temple Pilots). Há muitos anos não ouvia no universo da música dois lançamentos tão bem produzidos! Em um ano atípico, dois trabalhos musicais atípicos, fora do normal, audaciosos, soberbos!

Gigaton, 2020 (Pearl Jam)


As faixas 5, 6, 11 e 12 já deveriam ser declaradas patrimônio da humanidade! Desde o álbum Pulse do Pink Floyd não havia no mercado músicas tão épicas, sublimes e meditativas como essas. Já as faixas 1, 2 e 3 são excelentes canções de rock ao estilo Pearl Jam e com algo a mais! E a faixa 3, por sua vez,  me faz sentir a mesma empolgação de quando ouço Man in the Mirror do Michael Jackson. 

Todas as faixas têm momentos grandiosos de bateria, percussão, órgão, efeitos sonoros, guitarras e vocais. É um álbum apaixonante e marcante na História da música. No meu top list, entra certamente entre os 10 melhores, logo depois de Abbey Road (The Beatles), Brothers in Arms (Dire Straits), American Idiot (Green Day) e Jagged Little Pill (Alanis Morissette). Este recente trabalho do Pearl Jam é uma aula de composição e produção musical.


Perdida, 2020 (Stone Temple Pilots)

Um álbum inteiro de baladas semi-acústicas, uma mais linda do que a outra! E todas com tom nostálgico, letras românticas, mas nada introspectivo. Pelo contrário, é um álbum que se ouve com alegria! Com pouco tempo de audição, ele se torna contagiante e apaixonante, ao estilo de Bread, Pholhas e de outros artistas que provocam esses sentimentos de saudade. A última faixa me lembra um pouco John Lennon.


Aos fãs de rock, considero um pecado não ouvir e amar esses dois álbuns.

- Renan, eles são tão bons assim?

- Sim, são. E digo isso sem medo de frustrar expectativas.


sexta-feira, 6 de novembro de 2020

A perfeita canção country

Canção: "You never even called me by my name"

Intérprete: David Allen Coe
Compositor: Steve Goodman

Essa canção, inicialmente, traz o sofrimento comum em muitas canções do gênero, e cita alguns nomes tradicionais da música country. Mas a partir da 6ª estrofe, o cantor começa uma narrativa sobre o compositor desta canção, que alegava ser esta a perfeita canção country. O cantor rebate dizendo que faltam nela muitos elementos típicos do gênero [falar sobre a mãe, trens, caminhões, prisão e ficar bêbado] para ela ser a perfeita canção country.

O compositor então decide escrever uma última estrofe e envia-la ao cantor [a penúltima estrofe na letra abaixo.]. E nessa estrofe, ele coloca em apenas quatro versos, de uma só vez, todos aqueles elementos típicos da música country que, até então, faltavam na canção. 

Então o cantor passa a concordar com o compositor: "Após ler esses versos, percebi que meu amigo tinha escrito a perfeita canção country.".

Claramente, o melhor momento desta canção e o seu maior mérito são o efeito cômico a partir da 6ª estrofe [a crítica do cantor] e da estrofe que se segue [que o compositor acrescentou]. 


Letra completa:

Well, it was all
That I could do to keep from crying'
Sometimes it seemed so useless to remain
But you don't have to call me darlin', darlin'
You never even called me by my name 

You don't have to call me Waylon Jennings
And you don't have to call me Charlie Pride
And you don't have to call me Merle Haggard anymore
Even though you're on my fighting' side
 

And I'll hang around as long as you will let me
And I never minded standing' in the rain
But you don't have to call me darlin', darlin'
You never even called me by my name
 

Well, I've heard my name
A few times in your phone book (hello, hello)
And I've seen it on signs where I've played
But the only time I know
I'll hear "David Allan Coe"
Is when Jesus has his final judgment day
 

So I'll hang around as long as you will let me
And I never minded standing' in the rain
But you don't have to call me darlin', darlin'
You never even called me by my name
 

Well, a friend of mine named Steve Goodman wrote that song
And he told me it was the perfect country & western song
I wrote him back a letter and I told him it was not the perfect country & western song
Because he hadn't said anything at all about mama
Or trains, or trucks, or prison, or getting' drunk
Well, he sat down and wrote another verse to the song and he sent it to me
And after reading it I realized that my friend had written the perfect country & western song
And I felt obliged to include it on this album
The last verse goes like this here:
 

Well, I was drunk the day my mom got out of prison
And I went to pick her up in the rain
But before I could get to the station in my pickup truck
She got run over by a damned old train
 

And I'll hang around as long as you will let me
And I never minded standing' in the rain, no
But you don't have to call me darlin', darlin'
You never even called me
Well, I wonder why you don't call me
Why don't you ever call me by my name.

sexta-feira, 30 de outubro de 2020

O uivo do Vento

O Vento tudo traz e tudo leva.
Quanto mais forte Ele venta,
Mais coisas carrega.

A brisa do Vento,
A Maré do Tempo,
Ensinam que tudo é efêmero.

Se fosse numa fotografia,
Ele não teria cara de morte,
Nem de vida; nem noite, nem dia.

Imparcial como só Ele,
Seu uivo não conhece saudade,
Não julga, não tem vaidade.
 
Quanto mais forte Ele sopra,
Mais consciência da obra
Se faz presente:

São muitas opções de caminho,
Mas uma viagem por passageiro.
Sem volta, cada qual escolhe seu destino.




segunda-feira, 26 de outubro de 2020

Best songs & performances

Best pop songs ever

1- Staying Alive (Bee Gees)

2- Imagine (John Lennon)

3- Billy Jean (Michael Jackson)

4- Twist and Shout (The Beatles version)

5- S.O.S (ABBA)

Honorable mention: "Dancing Queen" and "The Winner Takes It All" by ABBA.

6- Sweet Child o' Mine (Guns n' Rose)

7- Sultans of Swing (Dire Straits)

8- More Than Words (Extreme)

9- Alive (Pearl Jam)

Honorable mention: "Even Flow" by Pearl Jam.

10- Bohemian Rapsody (Queen)

11- Stairway to Heaven (Led Zeppelin)

12- Hey Jude (The Beatles)

13- The House of Rising Sun (The Animals version)

14- Another Brick in the Wall, part II (Pink Floyd)

15- Take on Me (A-ha)

16- Still Loving You (Scorpions)

17- Hotel California (Eagles)

18- U2 - New Year's Day

19- Califonia Dreamin' (The Mamas & The Papas)

20- Knockin' on the Heaven's Door (Guns n' Roses version)

21- The Unforgiven (Metallica)

22- Basket Case (Green Day)


Best live performances ever

1- Nirvana (Unplugged in New York, 1994)

2- Stone Temple Pilots (Rolling Rock Town Fair, 2001)

3- Queen (Live Aid, 1985)

4- The Beatles (Rooftop, 1969)

5- Elvis Presley (Comeback Special, 1968)

6- Jimi Hendrix (Woodstock, 1969)

7- Pearl Jam (Pink Pop, 1992)

8- The Smiths (Hacienda, Manchester, 04/02/83);  (Barrowlands, Glasgow, 85)

9- U2 (Red Rocks, 1983)

10- Yes (Yessongs - Rainbow Theatre, 15/12/1972)

11- The Doors (Live in Europe, 1968)

Honorable mentions: Chuck Berry, James Brown, The Who, Michael Jackson.

quarta-feira, 14 de outubro de 2020

Resumo: História Ocidental

Antiguidade

Mosaico romano - A Odisseia

Filosofia: Tales, Pitágoras, Sócrates, Platão, Aristóteles, epicuristas, estoicos.

Literatura grega: Homero, Píndaro, Safo, Anacreonte, Esopo, Aristófanes, Sófocles.

Literatura romana: Lucrécio, Cícero, Horácio, Ovídio, Virgílio, Sêneca.

Pintura e escultura: arte clássica [greco-romana].

Música: ditirambo, ode, epinício, elegia. 


Idade Média

Mosaico bizantino - o Imperador Justiniano

Filosofia: Averróis, Avicena, Agostinho, Tomás de Aquino.

Literatura: Trovadorismo.

Pintura e escultura: Bizantina.

Música: cantos gregorianos.


Renascimento

Michelangelo- Criação

Filosofia: Kepler, Copérnico, Galileu, Newton, Erasmo de Roterdã, Bacon.

Literatura: Dante, Boccaccio, Petrarca, Gil Vicente, Camões, Shakespeare, Cervantes.

Pintura e escultura: Da Vinci, Donatello, Rafael, Michelangelo.

Música: Palestrina, Claudio Monteverdi.


Barroco

Caravaggio - Salomé

Filosofia: Descartes, Locke, Leibniz, Spinosa, Maquiavel, Hobbes.

Literatura: John Milton, Padre Vieira, Gregório de Matos.

Pintura e escultura: Rembrandt, Velásquez, Aleijadinho.

Música: Pachelbel, Albinoni, Vivaldi, Bach, Händel.


Iluminismo/Neoclassicismo

J. Louis David - Napoleão

Filosofia: Hume, Voltaire, Rousseau, Montesquieu, Kant.

Literatura: William Blake, Bocage.

Pintura e escultura: Jacques Louis David

Música: Haydn, Mozart, Beethoven.


Séc. XIX

Monet - Bazille et Camille

Filosofia: Hegel, Kierkegaard, Darwin, Marx, Comte, Nietzsche.

Literatura: Goethe, Dostoievski, Toltoi,  Edgar Allan Poe, Castro Alves, Eça de Queiroz, Machado de Assis, Baudelaire.

Pintura e escultura: Goya, Flaubert, Manet, Monet, Renoir, Van Gogh.

Música: Paganini, Rossini, Puccini, Tchaikovski, Verdi, Schubert, Strauss, Chopin, Wagner, Brahms, Carlos Gomes, Chiquinha Gonzaga.


Séc. XX

Abelardo da Hora - Desamparados

Filosofia: Escola de Frankfurt, Sartre, Beauvoir, Heidegger, Husserl, Einstein, Frege, Propper, Barthes, Derrida, Camus, Foucault.

Literatura: Monteiro Lobato, Fernando Pessoa, Neruda, Kafka, Borges, García Marquez, Drummond, Clarice Lispector, Saramago.

Pintura e escultura: Pablo Picasso, Salvador Dalí, Frida Khalo, Munch.

Música: Stravinski, Ravel, Carl Orff, Heitor Villa-Lobos, Carlos Gardel, Louis Armstrong, Pixinguinha, Luiz Gonzaga, Frank Sinatra, Chuck Berry, The Beatles, Jimi Hendrix.


O que é Teoria Literária?

Escreverei de maneira simples e resumida para responder a essa questão. Teoria Literária é uma disciplina do curso de Letras que estuda as várias formas de se abordar, compreender e interpretar um texto.

Para isso, a disciplina de Teoria Literária traz várias escolas teóricas em diversos campos de conhecimento: Filosofia, História [biografia], Linguística, Psicologia, Psicanálise, Sociologia, Antropologia etc; e claro, as próprias teorias do texto, da comunicação, da arte e da literatura.


Antes de continuar, acho importante diferenciar os conceitos: "compreender" e "interpretar".

Compreender um texto é entender o seu significado original, ou seja, a intenção do autor.

Interpretar um texto é perceber as possibilidades que o texto permite, sem cometer o erro da superinterpretação.

Superinterpretação é um conceito de Umberto Eco. Em resumo, é o mesmo que colocar chifres em cabeça de cavalo. Ou seja, ver além do que realmente existe. Isso é um erro tão desastroso, que chega a ser melhor não ler um texto do que ver nele coisas que não existem. 


ALGUMAS CORRENTES TEÓRICAS

Biografismo - estuda o histórico de vida do autor e suas influências literárias. A partir daí, tenta dar significado exato às intenções do autor em um texto.

Psicanálise - Utiliza o método de Sigmund Freud [e de Lacan] para analisar as personagens. Obs: Usar a Psicanálise para analisar um autor a partir de seu texto literário pode ser um erro grotesco. O autor [pessoa que escreve] se difere de seu narrador em uma narrativa e de seu eu lírico em um poema.

Psicologia Analítica - Utiliza o método de Carl Gustav Jung. 

Escola de Frankfurt [Teoria Crítica] - Utiliza a dialética.

Estruturalismo - Opõe-se ao historicismo. Divide-se em diversos campos: 

- Linguística;

- Estilística;

- Antropologia [do mito];

- Psicologia [Piaget];

 - Semiologia.

Semiótica - O estudo de todos os signos linguísticos, verbais e não verbais.

Formalismo Russo [Teoria do Texto Literário] - Método que rompe com as abordagens psicológicas e histórico-culturais [extrínsecas à literatura]. Busca características que distinguem a linguagem literária das demais.

New Criticism [Teoria do Texto Literário] - Introduz a separação entre texto e autor, excluindo o biografismo por completo. Analisa o texto pelo próprio texto, sem qualquer outra fonte. Preza pela ambiguidade da obra literária.


Obviamente, não há como resumir cada teoria aqui, pois cada uma delas demanda muitas páginas para serem minimamente explicadas. Então, elas ficam como dica de leitura para vocês. Aprofundem-se em cada uma delas e aprendam a usar essas teorias nas suas análises de textos e críticas literárias.

domingo, 11 de outubro de 2020

Best songwriters of all time

Criterions:

1- Number of hits;

2- Ability to compose alone (lyrics and music);

3- Ability to make instrumental arrangements;

4- Ability to be eclectic.


Best songwriters

1- Paul McCartney 

2- John Lennon 

3- Michael Jackson 

4- George Harrison

5- Per Gessler (Roxette)

6- Paul Simon

7- John Fogerty (Creedence Clearwater Revival)

8- David Gates (Bread)

9- Bob Dylan

10- Chuck Berry


Best duos of songwriters

1- Lennon-McCartney (The Beatles)

2- Jagger-Richards (The Rolling Stones)

3- Ulvaeus-Andersson (ABBA)

4- Elton John-Bernie Taupin

5- Leiber-Stoller

6- Morrissey-Marr (The Smiths)


Honorable mention (the best trio of songwriters ever)

Barry, Robin and Maurice Gibb (Bee Gees) 

quarta-feira, 7 de outubro de 2020

O estranho aliado do comum

Um ótimo método para entender melhor a nossa própria língua é estudando outra língua. Parece surpreendente? Mas isso é muito lógico.

Quando estudamos a gramática do português em uma aula padronizada, estamos estudando a língua portuguesa ministrada em português. Isso se chama metalinguagem, ou seja, o uso de um código [o português] para falar sobre o mesmo código. É como se fosse um filme sobre a arte do cinema ou um autorretrato de um pintor no ato de pintar.


Velásquez pintando a si mesmo enquanto pintava.

A metalinguagem pode criar confusões, como um espelho na frente de outro, produzindo uma espiral de imagens repetidas.

O mesmo fenômeno pode ocorrer ao estudar o português pelo português. Mas quando temos contato com outro idioma, além de adquirirmos novos conhecimentos culturais e linguísticos, também aprimoramos o entendimento da nossa própria língua pela simples comparação. E a comparação só pode ser feita entre coisas diferentes. 

Por isso, qualquer idioma estrangeiro que você estudar, ajudará muito na compreensão da gramática de sua própria língua nativa.

Hoje em dia na internet há  muitas opções de ótimos cursos de idiomas. Basta procurar e não será difícil achar. Escolha um idioma estrangeiro e estude-o um pouco. Tenho certeza de que, com pouco tempo de estudo, você irá compreender melhor a estrutura do português, o valor de estudar as conjugações verbais, as classes gramaticais e as principais funções sintáticas.

Somente a partir do estranho é que podemos fazer comparações que nos permitem entender o que para nós já era tão comum, que era difícil. Isto é, quando entramos em contato com um idioma estrangeiro [na Bíblia, chamavam de línguas estranhas] começamos a fazer comparações e, a partir disso, a entender melhor a nossa própria língua e cultura, além de começar a conhecer outra língua e outra cultura.

Qualquer língua estranha [i.e: idioma estrangeiro] será um aliado no estudo de sua própria língua.


P.S:

Eu estudei um pouco de espanhol e latim na minha graduação em Letras. Antes disso, estudava francês e italiano por conta própria. E antes disso, eu me dediquei bastante às aulas de inglês na escola. Tudo isso me agregou conhecimento e foi muito positivo para minha vida acadêmica. 

Atualmente estou estudando alemão à distância; por MP3, podcast, leituras e vídeos. Isso não me traz nenhum gasto financeiro significativo, mas tenho muitos ganhos culturais e linguísticos.

quarta-feira, 23 de setembro de 2020

Languages in the world

Native speakers

1- Mandarin – 918 millions.

2- Spanish – 481 millions.

3- English – 480 millions.

4- Hindi – 341 millions.

5- Bengali – 241 millions [161 millions in Bangladesh + 78 millions in West Bengal + 2 millions in Tripura].

6- Portuguese – 225 millions [210 millions in Brazil + 10 millions in Portugal + 5 millions in Angola]. *

7- Russian – 154 millions.

Source: based on Ethnologue x Nationalencyklopedin


Corrections in Ethnologue list:

* Portuguese is above 225 millions: Brazil + Portugal + Angola + 6 other countries where Portuguese is official + several regions in the globe where Portuguese is the native language of the immigrants.


German – at least 90 millions [82 millions in Germany + 8 millions in Austria + other countries]

Korean – 75 millions [50 millions in S. Korea + 25 millions in N. Korea]


Standard arabic - it is not a native language, but as a second language [L2] it is the 5th most widely spoken.

 

Published books by year

1- China (440,000 books)

2- USA (304,912 books)

3- United Kingdom (184,000 books)

4- Japan (139,078 books)

5- Russia (101,981 books)

6- Germany (93,600 books)

7- India (90,000 books)

8- France (77,986 books)

9- Iran (72,871 books)

10- Italy (61,966 books)

Source: Unesco

 

In internet [estimated]

English

Russian

Spanish

French

German

Japanese

Portuguese

Source: based on W3Techs


sexta-feira, 11 de setembro de 2020

Análise do VR da mensagem

 Ao analisar uma mensagem [oral, escrita, audiovisual ou não verbal] siga estes passos:


1º - Descarte fake news [Verifique fontes oficiais e sites que desvendam fake news.]

2º- Quem enuncia? [Conheça o histórico de quem enuncia: crenças, ideais e comportamento.];

3º- De onde enuncia? [Conheça a posição social de quem enuncia e o veículo onde ele publica.];

4º- Quem o patrocina? [Conheça quem patrocina o autor e o veículo onde ele publica.];

5º- Para quem enuncia? [Conheça o público-alvo de quem enuncia e do veículo onde ele publica.];

6º- Em qual contexto ele enuncia?

7º- Quais são as suas fontes?

8º- Qual linguagem foi usada e como foi usada?

9º- Qual é a mensagem?

10º - Com que objetivo [intenção] ele enuncia?


Ao seguir os 10 passos nessa ordem, se chega à pergunta final:

11º - E, portanto, qual é o Valor Real da mensagem?


O VR da mensagem pode ser:

* Tipo A [Alienação, algo contra si próprio ou contra seu grupo.].

* Tipo B [Benefício exclusivo de si próprio ou de seu grupo.].

* Tipo C [Criação imaginária, especulativa ou utópica.].

* Tipo D [Defesa de algo pertinente e universal.].


quarta-feira, 9 de setembro de 2020

Aprendendo um novo idioma

Hallo, ich heiße Renan. Ich bin brasilianer und 42 Jahre alt. Mein Vater heißt Adilson und meine Mutter Maria, aber sie ist dieses Jahr im Januar gestorben.  

Ich bin Professor und unterrichte Portugiesisch und Literatur. Ich arbeite in einer Schule und in einer Universität 

Ich lebe in Vila Velha-E.S., aber früher wohnte ich in Vitória.  

Ich habe eine Frau, zwei Brüder und eine Katze. Ich liebe sie alle.  

Ich mag Bücher, Kino, Musik, und Tee. Manchmal trinke ich auch Rotwein und Bier. 

Ich höre gern Reggae und mag Rockmusik und die Beatles finde ich besser als die Musik von heute.  

Ich war noch nie in Europa, aber ich spreche sehr gut Englisch und Italienisch. Ich verstehe auch Spanisch gut und ein bisschen Französisch.  

Nun studiere ich seit 41 Tagen die deutsche Sprache. Es ist nicht einfach zu lernen, aber ich mag sie studieren.

Ich bin dankbar dass Sie meinen blog besucht haben.


Besonderer Dank geht an meine Freundin Tanja für das Korrekturlesen und die Textkorrektur.

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Singer Sagarika Deb

For those who like Indian music, here's a great tip! This Indian singer is live on Instagram and Facebook every Saturday, starting at 10 pm in New Delhi [1 pm in New York].

Her name is Sagarika Deb. With great sympathy and a contagious laugh, she sings songs in Hindi, Bengali and English.

Owner of a sweet voice and great vocal technique, she is charming singing melodies to delight our hearts.

Follow her in the links bellow.


Para quem gosta de música indiana, aqui está uma ótima dica! Esta cantora indiana faz lives no Instagram/Facebook todos os sábados, a partir das 14h, horário de Brasília [22h na Índia].

Seu nome é Sagarika Deb. Com muita simpatia e uma risada contagiante, ela canta músicas em hindi, bengali e inglês. A maioria com acompanhamento musical no estilo karaokê e outras acappella [apenas voz].

Dona de um canto doce e dominando muita técnica vocal, ela é charmosa cantando melodias que alegram e encantam.

Os links da live estão no final desta postagem.

 





Sagarika has been honored with a certificate and trophy for her outstanding contribution to Pop Music, Animal Rights, and Women Empowerment.

Sagarika foi homenageada com um certificado e um troféu por sua excepcional contribuição à Música Pop, aos Direitos dos Animais e ao Empoderamento das Mulheres.



Follow her: 

Para seguir:

Instagram: sagarikaofcl [ao vivo todo sábado às 14h]

Facebook: SingerSagarikaOfficial  [ao vivo todo sábado às 14h]

Facebook: sagakiraofcl [perfil]

YouTube: SagarikaOfficial [página de vídeos]


terça-feira, 18 de agosto de 2020

HISTORY LINE OF Rock & Pop

LEGENDA:

AMERICANO (USA)

BRITÂNICO (UK)

IRLANDÊS (IRE)

SUECO (SWE)

NORUEGUÊS (NOR)

JAMAICANO (JAM)

CANADENSE (CAN)

AUSTRALIANO (AUS)

ALEMÃO (GER)

 

 

PIONEERS

ROBERT JOHNSON (USA)

HANK WILLIAMS (USA)

MUDDY WATERS (USA)

JOHN LEE HOOKER (USA)

FRANK SINATRA (USA)

 

50’S

BILL HALEY & THE COMETS (USA)

CHUCK BERRY (USA)

ELVIS PRESLEY (USA)

LITTLE RICHARDS (USA)

JERRY LEE LEWIS (USA)

EDDIE COCHRAN (USA)

JOHNNY CASH (USA)

BUDDY HOLLY (USA)

RITCHIE VALLENS (USA)

JAMES BROWN (USA)

 

60’S

THE BEATLES (UK)

THE ROLLING STONES (UK)

THE ANIMALS (UK)

THE WHO (UK)

THE BEACH BOYS (USA)

THE BYRDS (USA)

CREAM (UK)

PINK FLOYD (UK)

JIMI HENDRIX (USA)

JANIS JOPLIN (USA)

THE DOORS (USA)

GRATEFUL DEAD (USA)

JEFFERSON AIRPLANE (USA)

CREEDENCE CLEARWATER REVIVAL (USA)

THE YARDBIRDS (UK)

BEE GEES (UK)

THE JACKSON 5 (USA)

 

70’S

LED ZEPPELIN (UK)

DEEP PURPLE (UK)

BLACK SABBATH (UK)

YES (UK)

LYNYRD SKYNYRD (USA)

AEROSMITH (USA)

QUEEN (UK)

SCORPIONS (GER)

RUSH (CAN)

AC-DC (AUS)

ELTON JOHN (UK)

BOB MARLEY (JAM)

KISS (USA)

RAMONES (USA)

SEX PISTOLS (UK)

THE CLASH (UK)

ABBA (SWE)

JOY DIVISION (UK)

DIRE STRAITS (UK)

 

80’S

IRON MAIDEN (UK)

MICHAEL JACKSON (USA)

CINDY LAUPER (USA)

MADONNA (USA)

U2 (IRE)

A-HA (NOR)

REM (USA)

THE CURE (UK)

THE SMITHS (UK)

RED HOT CHILI PEPPERS (USA)

METALLICA (USA)

GUNS ‘N ROSES (USA)

ROXETTE (SWE)

 

90’S

NIRVANA (USA)

PEARL JAM (USA)

SMASHING PUMPKINS (USA)

ALICE IN CHAINS (USA)

SOUNDGARDEN (USA)

STONE TEMPLE PILOTS

GREEN DAY (USA)

THE OFFSPRING (USA)

THE CRANBERRIES (IRE)

ALANIS MORISSETTE (CAN)

OASIS (UK)

RADIOHEAD (UK)

QUEENS OF THE STONE AGE (USA)

THE WHITE STRIPES (USA)

 

2000’S

LINKIN PARK (USA)

INTERPOL (USA)

EVANESCENCE (USA)

LADY GAGA (USA)

AMY WINEHOUSE (UK)