domingo, 31 de julho de 2011

A língua portuguesa se destaca no mundo

A língua portuguesa é a...

5ª mais falada no mundo como língua nativa;
3ª mais falada no hemisfério ocidental;
1ª mais falada no hemisfério sul;
5ª mais usada na internet.

Língua oficial de 8 países e falada em todos os continentes.

Está presente nas seguintes organizações internacionais:
União Africana;
União Europeia;
União de Nações Sul-Americanas (UNASUL);
Mercado Comum do Sul (Mercosul);
Organização dos Estados Americanos (OEA);
Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP);
União latina.

Conhecida também como:

A língua do fado, do samba, da capoeira, da bossa nova...

A língua de Camões, Machado de Assis, Rui Barbosa, Fernando Pessoa, Monteiro Lobato, Amália Rodrigues, Jorge Amado, Chico Buarque, José Saramago, José Eduardo Agualusa...

A última flor do Lácio.

Dos poetas e músicos também,
De Castro Alves a Jorge Ben;
Em todos os sotaques, variantes e dialetos:
De Carmen Miranda a Clarice Lispector...
E em toda forma de uso,
De Vinícius de Moraes a Renato Russo...
E mídias que ousa:
De Dias Gomes a Mauricio de Sousa...


Fontes:




Museu da Língua Portuguesa:

quinta-feira, 28 de julho de 2011

Citações sobre língua e literatura

“As fronteiras da minha linguagem são as fronteiras do meu universo”. 
(Ludwig Wittgenstein)

“A estrutura da língua que uma pessoa fala influencia a maneira como esta pessoa percebe o universo”.
(Lev Vygotsky)

“Uma palavra que não representa uma ideia é uma coisa morta, da mesma forma que uma ideia não incorporada em palavras não passa de uma sombra”.
(Lev Vygotsky)

“A linguagem é inseparável do homem, segue-o em todos os seus atos”.
(Louis Hjelmslev)

“A pessoa que não lê não tem vantagem sobre a pessoa que não sabe ler”.
(Mark Twain)

“A palavra distingue os homens e os animais; a linguagem distingue as nações entre si. Não se sabe de onde é um homem antes que ele tenha falado”.
(Jean-Jacques Rousseau)

“Minha pátria é a língua portuguesa”. 
(Fernando Pessoa)

“Manejar sabiamente uma língua é praticar uma espécie de feitiçaria evocatória”.
(Charles Baudelaire)

“A palavra é o meu domínio sobre o mundo”.
(Clarice Lispector)

"A palavra é o instrumento irresistível da conquista da liberdade".
(Rui Barbosa)

"A literatura é um assunto sério para um país, pois é, afinal de contas, o seu rosto".
(Louis Aragon)

"O declínio da literatura indica o declínio de uma nação".
(Johann Wolfgang von Goethe)

“Um país se faz com homens e livros”.
(Monteiro Lobato)

"A literatura que continua empregando linguística e modos formais de expressão novos para traçar um panorama da sociedade como um todo enquanto ao mesmo tempo a expõe, rasgando as máscaras de sua face - para mim seria esta merecedora de um prêmio".
(Elfriede Jelinek)

"A literatura antecipa sempre a vida. Não a copia, amolda-a aos seus desígnios".
(Oscar Wilde)

“O artista precede o psicanalista”.
(Jacques Lacan)

"A tarefa da literatura é ajudar o homem a compreender-se a si mesmo”.
(Máximo Gorky)

sábado, 23 de julho de 2011

Cronologia (1808 - 2011)

Alguns fatos e curiosidades desde 1808 até a atualidade:

1808 – Chegada da Família Real portuguesa ao Brasil;
         – Abertura dos portos às “nações amigas” e fim do pacto colonial;

1822 – Proclamação da Independência do Brasil (início do Império);

1824 – Primeira Constituição brasileira, outorgada por Dom Pedro I;

1848 – Primeira publicação do Manifesto Comunista de Karl Marx e F. Engels.

1859 – Primeira edição de A Origem das Espécies de Charles Darwin;

1864 a 1870 – Guerra do Paraguai;

1880 Memórias Póstumas de Brás Cubas, de Machado de Assis, é publicado em folhetim;

1883 – Morre Karl Marx, enterrado como apátrida em Londres;

1888 – Lei Áurea: abolição da escravatura no Brasil;

1889 – Proclamação da República no Brasil (fim do Império);

1899 – Primeira edição de A Interpretação dos Sonhos de Sigmund Freud.

1906 – Santos Dumont levanta vôo com o seu 14-bis;

1914 a 1918 – Primeira Guerra Mundial;

1921 – Charles Chaplin lança o filme O Garoto;

1922 – Semana de Arte Moderna em São Paulo;

1929Crack da bolsa de Nova York;

1935 – Morre o poeta Fernando Pessoa;

1939 – Morre Sigmund Freud;
         – Início da Segunda Guerra Mundial;
         – Carmem Miranda vai aos EUA;

1940 – Charlie Chaplin lança seu primeiro filme falado: O Grande Ditador;

1942 – Morre Olga Benario;

1944 – O Brasil entra na Guerra;

1945  Fim da Segunda Guerra Mundial,;
         – Os EUA lançam duas bombas atômicas sobre o Japão;
         – Fundação da ONU, Osvaldo Aranha inicia a Assembleia;
         – Início dos julgamentos no tribunal de Nuremberg;

1948 – Mahatma Gandhi é assassinado;
         – Fundação de Israel, único estado judeu no mundo;

1954 – Morre Getúlio Vargas;

1955 – Morre Albert Einstein;
         – Morre Carmem Miranda;

1960 – Inauguração da cidade de Brasília, nova capital do Brasil;

1961 – Construção do muro de Berlim;

1963 – John F. Kennedy é assassinado;

1964 – Início da ditadura militar no Brasil;

1967 – Os Beatles lançam Sgt Peppers Lonely Hearts Club Band;
         – Che Guevara é assassinado;

1968 – Martim Luther King é assassinado;
         – O AI-5 é publicado;

1969 – Acontece o festival de Woodstock;
        – Neil Armstrong caminha na lua;

1970 – Os Beatles se separam;
         – Em setembro, morre Jimi Hendrix aos 27 anos;
         – Em outubro, morre Janis Joplin aos 27 anos;

1971 – Em julho, morre Jim Morrison aos 27 anos;

1974 – Revolução dos Cravos em Portugal;

1977 – Morre Elvis Presley
         – Morre Charlie Chaplin

1980 – John Lennon é assassinado em Nova York;

1984 – Movimentos das “Diretas Já” no Brasil;

1989 – Queda do muro de Berlim;

1990 – Fim do Apartheid na África do Sul;
         – Nelson Mandela sai da prisão;

1992Impeachment de Fernando Collor;

1994 – Nelson Mandela é eleito e se torna o primeiro presidente negro da África do Sul;

2001 – Aviões destroem o World Trade Center em Nova York;

2002 – Lula é eleito, sendo o primeiro presidente brasileiro vindo da classe operária;
           
2006 – Lula é reeleito;
         – Saddam Hussein é executado;

2009 – Barack Obama é eleito, toma posse e se torna o primeiro presidente negro dos EUA;

2010 – Dilma Rousseff se torna a primeira “presidenta” do Brasil.

2011 – Osama Bin Laden é morto por tropas americanas.

Frase para refletir (e refletir muito)

“The person who will not read has no advantage over the person who cannot read”.
— Mark Twain

“A pessoa que não lê não tem vantagem sobre a pessoa que não sabe ler”.



livro em branco


 Para o analfabeto, o texto de um livro é um código indecifrável, ou seja, as palavras escritas não existem para o analfabeto. É como se o livro estivesse em branco.

Mas quem sabe ler e não lê, vive como se o livro estivesse sempre fechado, ou seja, as palavras escritas também não existem para essa pessoa, logo, o mundo dela não é muito diferente daquele do livro em branco.

quarta-feira, 13 de julho de 2011

O que é crítica literária?

A arte não é apenas entretenimento. Ela também provoca reflexão e transformação. No caso da literatura, esta ainda proporciona a aquisição de um repertório lingüístico mais complexo, sem o qual não é possível haver conhecimento, uma vez que todo o conhecimento humano passa pela linguagem; ou como proferiu Wittgenstein: “As fronteiras da minha linguagem são as fronteiras do meu universo”.

A ruptura promovida pelo Modernismo e a chegada e estabelecimento da Pós-Modernidade são argumentos de sobra para a ruína de uma visão romântica e conservadora sobre o que é literatura.

Em todos os suportes e mídias, em todos os gêneros; sejam eles orais, escritos ou audiovisual; a linguagem é usada de forma artística, logo, é objeto necessário dos estudos literários. Assim, ao estudar a Literatura hoje, devemos abraçar toda e qualquer forma de expressão verbal artística e intelectual. Isto abrange desde as formas mais ancestrais (epopeia, novela, romance, conto, crônica, ensaio, epístola, manifesto, poesia lírica, letra de música, poesia concreta, teatro, ópera...) até as novas modalidades (roteiro de cinema, teledramaturgia, cartum, charge, gibi, quadrinhos, spot de rádio, outdoor, slogan, peças publicitárias para a TV, propaganda em geral, stand up comedy, blog,  fanfic etc).

Todos os gêneros textuais e todos os suportes de comunicação e expressão devem ser contemplados pelo estudo literário e assim devem ser objeto de reflexão do profissional graduado em Letras, sobretudo aqueles com especialização em Literatura.

Esse profissional é o crítico literário, ou seja, um crítico de arte especializado na arte da linguagem. Ele analisa o argumento (enredo), o contexto, o discurso, as ideologias, as ferramentas retóricas utilizadas, o efeito proposto, o efeito obtido, a importância política, a forma, o conteúdo; o valor sócio-cultural, filosófico, pedagógico, histórico, além do valor estético.

O crítico literário é, portanto, um filósofo da arte verbal. No estudo de Literatura e Teoria da Literatura, o graduando em Letras deve obter as ferramentas para compreender a arte literária, sua importância e função, tanto nos suportes tradicionais (livro, teatro, folhetim, música...) quanto nos mais atuais (rádio, cinema, revista, TV, internet).

O crítico literário é um guardião da história, um defensor de tradições, um curador do folclore, ou seja, um estudioso da cultura que define a identidade nacional de um povo. Mas ele também é um pensador, um formador de opinião, um crítico das ideologias, consequentemente, sua função essencial é pesquisar, produzir e inovar.

Sem a arte não há espírito humano. A arte é a expressão máxima de técnica aliada a sentimento, racionalidade aliada a experiência, idealismo aliado a empirismo, tradição aliada a ruptura. A arte define e revela quem somos, que mitos cultivamos, em que ideais estéticos nos espelhamos, quais sentimentos escondemos e quais repudiamos. Como disse Lacan: “o artista precede o psicanalista”.

Logo, o crítico literário é também um leitor e intérprete das metáforas e alegorias da vida; um contemplador dos mitos, lendas, símbolos, arquétipos e investigador de seus significados; um observador atento da sociedade e um estudante da psique humana.

terça-feira, 12 de julho de 2011

Oração do "Pai Nosso" em 6 línguas

Pater Noster (latina)
Pater noster qui es in cælis
Sanctificetur nomen tuum;
Adveniat regnum tuum.
Fiat voluntas tua
Sicut in cælo et in terra.
Panem nostrum quotidianum da nobis hodie.
Et dimitte nobis debita nostra,
Sicut et nos dimittimus debitoribus nostris.
Et ne nos inducas in tentationem;
Sed libera nos a malo.
Amen.

Padre Nostro (italiano)
Padre Nostro, che sei nei cieli,
Sia santificato il tuo nome.
Venga il tuo regno,
Sia fatta la tua volontà,
Come in cielo, così in terra.
Dacci oggi il nostro pane quotidiano,
E rimetti a noi i nostri debiti,
Come noi li rimettiamo ai nostri debitori.
E non ci indurre in tentazione,
Ma liberaci dal male.
Amen.  

Padre Nuestro (español)
Padre nuestro, que estás en el cielo,
Santificado sea tu Nombre;
Venga a nosotros tu reino;
Hágase tu voluntad en la tierra
Como en el cielo.
Danos hoy nuestro pan de cada día;
Perdona nuestras ofensas
Como también nosotros perdonamos a los que nos ofenden;
No nos dejes caer en la tentación,
Y líbranos del mal.
Amén

Pai Nosso (português)
Pai nosso, que estais no céus,
Santificado seja o vosso nome;
Venha a nós o vosso reino;
Seja feita a vossa vontade, assim na terra como no céu.
O pão nosso de cada dia nos dai hoje;
E perdoai-nos as nossas ofensas
Assim como nós perdoamos a quem nos tem ofendido;
E não nos deixeis cair em tentação,
Mas livrai-nos do mal.
Amén.

Notre Père (français)
Notre Père qui es aux cieux,
Que ton Nom soit sanctifié,
Que ton règne vienne,
Que ta volonté soit faite sur la terre comme au ciel.
Donne-nous aujourd'hui notre pain de ce jour.
Pardonne-nous nos offenses,
Comme nous pardonnons aussi à ceux qui nous ont offensés.
Et ne nous soumets pas à la tentation,
Mais délivre nous du Mal.
Amen.

Our Father (english)
Our Father, Who art in heaven,
Hallowed be Thy Name.
Thy Kingdom come.
Thy Will be done, on earth as it is in Heaven.
Give us this day our daily bread.
And forgive us our trespasses,
As we forgive those who trespass against us.
And lead us not into temptation,
But deliver us from evil.
Amen.

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Fontes das peças de Shakespeare


“Romeu e Julieta”

Ovídio (43 a.C.) em Metamorfoses, trata do tema de dois amantes cujos pais se odeiam.

Xenofonte de Efésios (séc. III) em Os Contos Efésios narra detalhes como o veneno que induz ao estado de morte aparente.

Masuccio Salernitano em sua coletânea Il Novellino incluiu o conto Mariotto e Giannozza, ambientado em Siena, cujo enredo inspirou Luigi Da Porto.

A alteração dos nomes para Romeus e Giulietta, a inclusão das personagens Mercúrio, Tebaldo, Frei Lourenço e Páris, além da ambientação em Verona, foram obra de Luigi Da Porto em 1524.

Matteo Bandello ampliou o conto de Da Porto em 1554.

O conto de Bandello inspirou o poema The Tragical History of Romeus and Juliet de Arthur Brooke, escrito em 1562.

A peça Romeu e Julieta de Shakespeare foi escrita entre 1591 e 1595.


"Muito Barulho Por Nada" e "Noite de Reis"

William Shakespeare conheceu as traduções francesas (provavelmente através de Belleforest e Pierre Boaistuau) dos romances de Matteo Bandello, que trouxeram os temas para as comédias shakespereanas.


“Otelo, o Mouro de Veneza” e “Medida por Medida”

As peças foram diretamente inspiradas nas obras de Giovanni Battista (Giambattista) Giraldi.


“A Comédia dos Erros”

Como muitas obras de Shakespeare que têm origens em textos clássicos, esta não foge à regra e é construída a partir de Os Menecmos ou Os Gêmeos, do comediógrafo romano Plauto.


“Tudo Bem quando Termina Bem”

A peça é baseada no conto (3,9) do Decameron, de Boccaccio.


“Antonio e Cleopatra”

Plutarco foi um historiador grego que viveu no período greco-romano. Estudou na Academia de Atenas, fundada por Platão, e viajou pela Ásia e Egito. Ele escreveu várias biografias, dentre elas a de Cleópatra.

Étienne Jodelle, dramaturgo francês, escreveu Cleopatra Cativa em 1553.

A peça Antonio e Cleopatra de Shakespeare data de 1607. Em comum estas obras trazem a relação entre Marco Antonio e Cleopatra, o suicídio da rainha, entre outros detalhes.


“Hamlet”

Saxo Grammaticus, historiador dinamarquês do séc. XIII, escreveu Vita Amlethi, que faz parte da Gesta Danorum. O texto contém muitos paralelos com o Hamlet de Shakespeare.

François de Belleforest em seu Histoires Tragiques traduziu e embelezou a obra de Saxo, além de dobrar o tamanho do texto e introduzir um elemento que, com certeza, Shakespeare usaria posteriormente: a melancolia do herói.

A peça Hamlet de Shakespeare foi escrita entre 1599 e 1601. O nome do herói shakespereano pode ter alguma conexão com o único filho de Shakespeare: Hamnet Shakespeare, que morreu em 1596 com apenas onze anos de idade.