sexta-feira, 29 de abril de 2016

Suffer little children

Tradução: “Deixai as criancinhas”. O título dessa canção dos Smiths faz referência à Bíblia, livro de Lucas 18:16, quando Jesus diz “Deixai vir a mim as criancinhas”. Mas há duplo sentido, podendo ser traduzido como “Sofrem as criancinhas”.

A letra se refere a uma série de assassinatos de crianças ocorridos em Manchester nos anos 60. O caso ficou conhecido como Moors Murders, isto é, “Homicídios de Moor”. Esta última palavra é um termo geográfico sem correlato preciso na língua portuguesa, mas refere-se a um lugar como um planalto com prados ou um tipo de charneca britânica (moorland). É o local onde foram escondidos os corpos das vítimas.


Moor (ou Moorland) de Saddleworth, Manchester.















Das crianças, três nomes são citados: Lesley Ann “Lesley Ann with your pretty white beads”[1]; John “Oh, John, you'll never be a man. And you'll never see your home again”[2] e Edward “Edward, see those alluring lights. Tonight will be your very last night”[3]

O verso “Find me, find me”[4] refere-se a Keith Bennett cujo corpo nunca foi encontrado. A letra faz referência também à mãe desse menino quando diz: “I know my son is dead. I'll never rest my hands on his sacred head”[5].

Myra Hindley e Ian Brady receberam prisão perpétua pelos homicídios. Ela é citada na letra: “Hindley wakes and says: Oh, whatever he has done, I have done”[6].

A lírica de Morrissey assume uma voz fictícia representando as crianças quando ele canta: Estamos numa moor silenciosa e enevoada. Nós podemos estar mortos e podemos ter ido para sempre. Mas sempre estaremos bem perto, até o dia em que vocês morrerem. Este não é um passeio fácil. Nós os assombraremos quando vocês rirem. Sim, vocês poderiam dizer que formamos um time. Vocês podem até dormir, mas vocês nunca mais irão sonhar”. Esta fala também pode ser interpretada como vozes acusativas na consciência pesada do casal, ainda que a psicopatia seja caracterizada pela ausência de remorso.

De acordo com o site Songfacts, Morrissey escreveu essa letra após ler Beyond Belief: A Chronicle of Murder and its Detection (Inacreditável: uma crônica de assassinato e suas descobertas). O livro não tem título em português, então fiz aqui uma tradução livre.

Este é um vídeo musical de “Suffer little children” com slides sobre o triste caso:



Nota 1: este é um exemplo de lírica sobre um caso verídico. Morrissey fez esta letra em tributo às vítimas e seus familiares. Ele próprio era uma criança quando esses crimes horríveis aconteceram em Manchester, cidade onde ele cresceu.

Nota 2: fiz uma tradução contextualizada aos fatos e de alguns trechos mais difíceis, buscando explicar as ocorrências de duplo sentido e a falta de correlato na língua portuguesa. Os demais versos não carecem de explicação, bastando uma tradução literal simples, por isso não os mencionei aqui.

A letra completa e correta, na sua versão original, pode ser vista neste site:
http://www.azlyrics.com/lyrics/smiths/sufferlittlechildren.html




[1] Lesley Ann, com seu belo colar de miçangas brancas.
[2] Oh, John, você nunca se tornará um homem (adulto). E você jamais verá seu lar de novo.
[3] Edward, veja aquelas luzes atraentes. Hoje será sua última noite.
[4] Encontre-me, encontre-me.
[5] Eu sei que meu filho está morto. Eu nunca mais irei colocar minhas mãos sobre sua cabeça sagrada.
[6] Hindley acorda e diz: Oh, o que quer que ele tenha feito, eu também fiz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário